sexta-feira, 31 de julho de 2015

S. BENTO 2015




Este passeio é uma tradição do nosso grupo.
Sempre se realizou, com mais ou menos gente (chegamos a ser 30 a pedalar).
Quem pode e quer ir deve dizê-lo AQUI para se combinar.

Não fiquem em casa com "medo de cair ao RIO" porque se isso tiver de acontecer bem poderá ser no rio Este! Ah!Ah!Ah!Ah!
Com as intencões demonstradas o passeio fica marcado para Sábado, dia 1.

Dia  - Sábado
Hora/Local - 7:00h na padaria Santa Catarina.

Inscritos: Paulo, Leitão, Jorge, Vasco Sousa, Salada, Délio, Faria(?).

quarta-feira, 29 de julho de 2015

quinta-feira, 23 de julho de 2015

Passeio anual a S.Bento

Biciatus , temos a possibilidade de duas datas para o nosso tradicional passeio ao S. Bento da porta aberto. devem votar na melhor opção individual até domingo dia 26:

- sábado dia 1/8

ou


- domingo dia 2/8

No dia 26 ficará determinada a data com ponto de encontro às 7:00h na Santa Catarina.

quinta-feira, 9 de julho de 2015

24 Horas 2015. Informação de última hora.


Tenda já montada com o esforço do Salada e do Mesquita.
Ficamos no espaço logo por baixo da zona de transição, (junto às silvas) quem sobe a rua principal é a última tenda do lado direito da rua.
Parabéns aos "montadores".

Mesmo no cantinho !!!

PS : A prova !

terça-feira, 7 de julho de 2015

Quarta à noite vamos "dar" uma noturna...

Companheiros, na próxima quarta (08-07-2015), vamos fazer um teste às luzes, o ponto de encontro será no local habitual pelas 20:30h.
Confirmem aqui a vossa presença.
Saudações Biciatas.

quinta-feira, 2 de julho de 2015

Jantar Julho - 24 Horras


Preparação da logística para as 24 Horas Btt.
Sexta-feira, não faltem.
Confirmem presenças.

terça-feira, 30 de junho de 2015


Santiago de Compostela II – Dias 13 e 14 de Junho de 2015

 

Já que o Jorge não quis fazer a crónica desta viagem, eu decidi fazer a minha estreia neste blog (na escrita) e fazer uma pequena narrativa ainda que tardia. E então é assim:

Há hora marcada - 7h00 e no local combinado - Igreja de Antas, lá estavam todos os inscritos para esta viagem, com exceção do nosso guia - Jorge Machado.7H10 e nada - o guia continuava sem aparecer. Logo pensamos que o receio do chefe se tinha confirmado - o Jorge tinha a tal "trela" e não ia. Mas eis que de repente se avista um bttetista e lá aparece o Jorge. Afinal o problema não tinha sido a trela mas o esquecimento do "Doping" para a viagem que o fez voltar atrás e atrasar.

Depois de mais 5 minutos para as fotos e mais outros 5 para um dos elementos descobrir a carteira onde tinha o dinheiro e cartões (adivinhem quem), eram já 7h20, quando iniciamos a nossa marcha.

Ainda não tínhamos percorrido 1 KM e a bicicleta do Vasco Araújo já registava um furo, que o gel rapidamente e eficazmente resolveu.

Ainda não tínhamos percorrido 3 km e já chovia copiosamente. A pretexto do furo da bicicleta do Vasco, foi decidida uma paragem técnica para verificar o furo e principalmente para nos abrigarmos do chuveiro intenso que se fazia sentir. Bendito furo, pois passados 2 ou 3 minutos o chuveiro já tinha passado e prosseguimos viagem.

Ainda não tínhamos chegado a Barcelos e eu já registava o meu primeiro tombo do dia (era a minha estreia nos pedais de encaixe).

Ainda não eram 10h00 e já estávamos todos a apreciar em Barcelos a famosa bola de Berlim, que de facto é muito boa e para além disso é de rendimento (são enormes), que bem precisávamos para o resto do dia.

Rumo a Ponte de Lima, registo do meu segundo tombo. Eu que antes vinha a dizer bastante bem dos pedais de encaixe, após este segundo tombo já só praguejava, contra os ditos pedais.

Ás 12h30, já estávamos a estacionar as máquinas em Ponte de Lima e a aguçar o bico para o arroz de sarrabulho. Após algumas hesitações de alguns sobre a ementa, acabamos todos por comer o dito arroz e que bem que soube!, até e também pelo preço - 8,5 € por cabeça.

Eram 13h30 e já estávamos em cima das máquinas prontos para atacar a famigerada Labruja. Antes de lá chegar no entanto, novo furo, desta vez no pneu da bicicleta do Faria.

Ás 17h00 paragem para o lanche em Valença.

Após o lanche, partida rumo á Galiza, primeiro Tui e depois Porrino. Antes da chegada a Porrino, fomos ainda brindados com uma grande chuvada, mas nada que um bom banho de água quente não resolvesse á chegada ao Hotel, que aconteceu por volta das 19h00.

Ás 20h00, já estava tudo sentado á mesa do restaurante do hotel, cheios de fome e prontos para o repasto. Jantar agradável e pela módica quantia de 10 €, incluindo vinho e água á descrição. 

Após o jantar, ida a um bar beber um copo, petiscar algo e dar duas de treta.

No dia seguinte após o pequeno-almoço e embora estivesse combinado arrancar ás 8h00, só iniciamos a marcha ás 9h00, até Pontevedra, onde paramos para almoçar uma sandes de presunto.

Após o almoço e já a chover retomamos a nossa viagem, rumo a Santiago.

Entre estes dois trajetos, mais concretamente em Caldas D'el Rei, fizemos um pequeno desvio do caminho, para visitar umas cataratas de água - um dos pontos altos desta viagem e sem dúvida o sitio mais bonito por ande passamos.

Retemperadas as forças e as vistas, prosseguimos para o nosso destino. Mais á frente, novo furo - adivinham de quem? - acertaram, mais um furo para a bicicleta do Faria. 

E eis que pelas 18h00 chegamos ao nosso destino final - a Catedral de Santiago de Compostela.

A emoção era muita, a sensação do objetivo cumprido era enorme e a satisfação maior ainda.

Depois das fotos comprovativas da nossa chegada tendo como pano de fundo a majestosa Catedral, lá fomos levantar o nosso diploma de peregrino – a compostelinha e fomos para um albergue tomar o merecido e necessário banho, onde guardamos as bicicletas, enquanto fomos jantar.

O faustoso jantar, foi num dos restaurantes típicos de Santiago, á base de tapas e muito bem "regado", com vinho e cerveja.

Á hora combinada, 10h00 espanholas, lá estava o nosso transporte á espera para nos trazer para casa, onde chegamos por volta das 23h30.       

Opinião pessoal desta viagem: simplesmente ESPETACULAR!!!  MEMORÁVEL!!!e INESQUECIVEL!!!.

Qualquer bttetista que goste de pedalar e que goste de apreciar a natureza fica deslumbrado com este caminho.

Paisagens lindíssimas e diversificadas: montes, floresta, bosque, campo, aldeias, cidades, rios, riachos, etc.

Trajetos de todo o tipo: caminhos de asfalto, de terra batida, estradas, caminhos sinuosos, subidas a pique, descidas a pique, etc.

Convivio, camaradagem, solidariedade, divertimento, mas também esforço e sacrifício quanto baste.

Aos meus companheiros desta aventura, gostaria de agradecer a todos por me terem proporcionado dois dias memoráveis muito bem passados e em boa companhia.

Uma palavra especial para o nosso guia, que desempenhou de uma forma brilhante a sua "função", pese embora o “stress” que por vezes o atingia.

A todos estes companheiros de viagem e demais Biciatus eu digo: até á próxima.

 

Paulo Araújo